Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Palavra de escuteira

De que valem as palavras se forem apenas ditas, se não forem sentidas, se não forem intencionais e se não nos soubermos expressar através delas? A chama da aventura. Decisões e caminhos divergentes. O meu quotidiano.

Palavra de escuteira

De que valem as palavras se forem apenas ditas, se não forem sentidas, se não forem intencionais e se não nos soubermos expressar através delas? A chama da aventura. Decisões e caminhos divergentes. O meu quotidiano.

Não deixes para amanhã aquilo que podes comer hoje

Acho que mesmo sem ter dado conta, este sempre foi o lema da minha vida.

A minha mãe está sempre a dizer que cá em casa não sobra nada, pois não podia estar mais enganada! Sobra sempre alguma coisa, sobra sempre aquilo que eu não gosto e que deixo para o meu pai (quem sai aos seus não degenera, não é verdade?).

Chocolates e afins que cheguem aos amários da cozinha da D. Lurdes, têm o tempo contado. Se eu souber que posso ir assaltar-los sem que ninguem se aperceba, não penso duas vezes. Tal é a prática que é raro ser apanhada.

E isto é tudo muito bonito, não fossem os sermões da minha mãe quando vai para petiscar e só encontra migalhas. Dá-lhe cabo do sistema!, isto e ver alguem comer na sala - algo que eu adoro fazer!  

Isto é capaz de ter acontecido hoje, mas ela só descobre amanhã, até lá tenho tempo de fazer a mala.