Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Palavra de escuteira

De que valem as palavras se forem apenas ditas, se não forem sentidas, se não forem intencionais e se não nos soubermos expressar através delas? A chama da aventura. Decisões e caminhos divergentes. O meu quotidiano.

Palavra de escuteira

De que valem as palavras se forem apenas ditas, se não forem sentidas, se não forem intencionais e se não nos soubermos expressar através delas? A chama da aventura. Decisões e caminhos divergentes. O meu quotidiano.

Está tudo possuído pelo Espírito Natalicio

Cuidado, tenham cuidado se sairem de casa para ir às compras a qualquer tipo de superficie comercial - principalmente se a mesma tiver uma loja chamada Primark.

Ontem, eu, a minha tia e a minha prima, aventurámo-nos numa ida a coimbra, ao fórum. Burras, burras, burras! Era Domigo, era aquela hora no final de almoço mesmo apropriada, e é Natal! Pois está claro que ninguém se entendia e era quase impossivel circular lá dentro.

Mais burras ainda porque nós deu para ir à Primark comprar meias (sim, meias!). Só me deu para rir, visto que chorar não levava a lado nenhum. Ele era guardas a barricar a entrada, ele era multidão a fazer fila para entrar, ele era uma bicha enorme para as caixas, ele era carrinhos de bébés e crianças a chorar e a correr... Apre, qual concerto do Tony carreira. 

O bom de toda esta aventura é que a minha tia me arrastou à Bertrand e não saímos de lá até eu escolher a minha prenda de Natal. Tem 547 páginas, é de Carlos Ruíz Zafón e chama-se O Jogo do Anjo.

Moral da história: façam as compras de Natal no início do ano.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.