Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Palavra de escuteira

De que valem as palavras se forem apenas ditas, se não forem sentidas, se não forem intencionais e se não nos soubermos expressar através delas? A chama da aventura. Decisões e caminhos divergentes. O meu quotidiano.

Palavra de escuteira

De que valem as palavras se forem apenas ditas, se não forem sentidas, se não forem intencionais e se não nos soubermos expressar através delas? A chama da aventura. Decisões e caminhos divergentes. O meu quotidiano.

Charlie ou não, humana sem dúvida

Eu, uma rapariga na flor dos 16 anos, vou agora opinar sobre o assunto mais falado nos dias que correm. E sim, é exatamente sobre Charlie Hebdo - mais vale tarde do que nunca.

Primeiro gostaria de dizer que sou alguém que respeita opiniões alheias e que, assim sendo, gosto igualmente que respeitem as minhas. E é também por aqui que passa este post. Tenho visto imensos bloguers a "atacar" e a ofender quem não partilha as mesmas ideas! Como é que é possivel ser-se tão hipócrita neste mundo? Como, meu Deus? Acabadinhos de fazerem posts sobre a constante ameaça à liberdade de expressão e a primeira coisa que fazem é espezinhar o outro? Mas somos pessoas civilizadas ou somos pessoas civilizadas? 

Em segundo quero dizer, com grande convicção, que não existe desculpa para quaisqueres atos de terrorismo como aqueles que temos vindo a presenciar (de uma maneira ou de outra) estes últimos dias. Diga-se que atos de terroristas não é apenas assassinarem 17 pessoas, mas sim o "simples" ato de matar. Porque o que aconteceu em Paris é uma tragédia, mas não falo apenas deste acontecimento, falo do 11 de Setembro, falo do abandono de uma criança, falo de matar os filhos ou o marido ou a mulher ou quem quer que seja. Tirar a vida a alguém seja que por razão for é horrivel e niguém tem o direito de dicidir quem vive e quem morre (leia-se NINGUÉM). 

Se defendem a liberdade de expressão como eu, então tenho a certeza quem acreditam que essa liberdade passa por respeitar.

Aquelas pessoas não tinham o direito de serem tão crueis, mas concordo que jornais (ou não) satíricos devem pensar se estão a ameaçar a segurança de inocentes com o que publicam porque por muito que custe a acreditar, existem pessoas capazes de tudo.

Só quero pedir a quem estiver a ler isto, sinceramente, que entenda o que escrevi e que perceba que opiniões e maneiras de ver as coisas há muitas mas o respeito e o apoio aos ideais do outro parte de cada um de nós.

 

 

Não sei se sou Charlie ou não, sei que não é possível a ninguém tolerar isto.

 

6 comentários

Comentar post