Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Palavra de escuteira

De que valem as palavras se forem apenas ditas, se não forem sentidas, se não forem intencionais e se não nos soubermos expressar através delas? A chama da aventura. Decisões e caminhos divergentes. O meu quotidiano.

Palavra de escuteira

De que valem as palavras se forem apenas ditas, se não forem sentidas, se não forem intencionais e se não nos soubermos expressar através delas? A chama da aventura. Decisões e caminhos divergentes. O meu quotidiano.

Apelo

Não interessa o quando se goste do verão, todas as pessoas tem um fraquinho por chuva. Quando mais não seja de a ficar a ouvir cair lá fora, naquele mundo cruel e amargo, enquanto se está alapado no sofá (a ler um bom livro). Contudo, ainda nem o outono começou e eu já me atrevo a dizer que já estou farta! O verão ainda não acabou e chuva foi coisa que não faltou (uuuh rimei)!
Pior do que chuva, só mesmo as consequências. Aqui estou eu, sem absolutamente nada para fazer, a gastar dados móveis, porque a mãe natureza assim o decidiu. Permitam que me esclareça: faltou a luz!, e a EDP disse que às 20:30h a eletricidade voltaria pois já tinham técnicos no terreno (provavelmente a tentar que a mãe natureza se resolva e pare de chorar). São 20:41h e nada. Penso que o meu desagrado é visível.
Querida mãe natureza, acredito piamente na tua existência e apelo à tua ajuda.